Category Archives: Animais Domésticos

Florestas protegem Mananciais!

oje, restam apenas 488 km2 (21,5%) de vegetação nativa na bacia hidrográfica e nos 2.270 km2 do conjunto de seis represas que formam o Sistema Cantareira.

VER:  https://www.facebook.com/ecosurfoficial/photos/a.209649595732336.58186.209308629099766/872203342810288/?type=1&theater

Brazil no longer features in UN World Hunger Map

Sao Paulo: Brazil has hailed a new United Nations report that for the first time removed Latin America’s biggest country from the World Hunger Map.

United NationsUnited Nations

Social Development Minister Tereza Campello says in a statement that “leaving the×Map is a historic milestone for×Brazil. We are very proud because overcoming hunger was a priority for the×Brazilian state.”

The State of× Insecurity in the World 2014 was released on×Tuesday by the UN’s Food and× Organisation, the International Fund for×Development, and the United Nations World Food Programme.

VER MAIS:  http://www.firstpost.com/world/brazil-longer-features-un-world-hunger-map-1716053.html

Calor e falta de chuva…!

VER: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/08/1508423-calor-e-estiagem-fazem-casos-de-queimadas-no-pais-dobrarem.shtml


Desafio do Balde..!

Seca faz cidades do interior decretarem emergência

A estiagem recorde enfrentada pelo Sudeste do País tem feito cada vez mais cidades de São Paulo e de Minas Gerais adotarem o racionamento, para reduzir o consumo de água, ou decretarem estado de emergência. Além do desabastecimento, a seca tem prejudicado também setores como a agricultura e o turismo dessas cidades. Em Minas Gerais, segundo o boletim da Defesa Civil divulgado na quinta-feira, neste ano 129 municípios já decretaram estado de emergência por falta de água. Em alguns até o abastecimento da população corre risco, enquanto que em outros é a economia que está à beira do colapso com prejuízos, sobretudo, para a agricultura. Marmelópolis (MG) é uma das localidades castigadas pela falta de chuva. No município os 3 mil moradores -incluindo a metade que reside na área rural – ficam de torneiras secas das 11 até as 17 horas. A prefeitura local culpa a baixa vazão das nascentes e já estuda furar poços artesianos em busca de água. Em Luz (MG), cidade com pouco mais de 17 mil habitantes e que também decretou emergência, a falta de água foi sentida na agricultura, principalmente, nas lavouras de milho que alimenta o gado. Elas não renderam o esperado e agora, com pouco alimento para os animais, eles produzem menos leite, fonte importante da economia local. No Estado de São Paulo, o maior problema tem sido o racionamento, cada vez mais necessário para garantir o fornecimento nos próximos meses. Somente na região de Ribeirão Preto são mais de 20 municípios com problema de falta de água. Em Santa Rita do Passa Quatro, o corte começou na quarta-feira e está deixando a cidade por mais de 10 horas diariamente sem água. Na cidade não chove há um mês e a orientação para os moradores é no sentido de se evitar o desperdício ao máximo. Com a estiagem prolongada, as torneiras ficam secas das 13 às 16 horas e das 22 às 5h30 do dia seguinte. A prefeitura informa que para fazer a represa que abastece o município voltar ao normal seriam necessários mil caminhões-pipa.

FONTE:  http://www.politicalivre.com.br/2014/07/seca-faz-cidades-do-interior-decretarem-emergencia/


Dia Mundial de la Conservación del Suelo!!!!

No al Maiz Transgénico!!!!

Seca em São Paulo já desencadeia conflito

O pesquisador argentino radicado no Brasil José Antonio Marengo, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), coordenou o capítulo sobre América Central e do Sul e também fez parte do grupo que elaborou o Sumário para Formuladores de Políticas. Ele fala das novidades, dos mais vulneráveis e do que podemos esperar para o continente.

Qual é a principal novidade desse relatório?

Marengo – Alguns aspectos regionais ficaram mais claros: o que podemos esperar de impactos e como lidar com eles. Foi criada uma classificação do tamanho do impacto com e sem adaptação. Um determinado risco pode ser menor com adaptação. Já para outros, não há o que fazer. Por exemplo, se acabar a água das geleiras andinas, teremos de buscar outras fontes. É um problema que vai desencadear conflitos. Pense na seca em São Paulo. O governador paulista quer usar água do Rio Paraíba do Sul e o do Rio não quer deixar. Não é uma guerra, mas é uma forma de conflito.

Ampliar

Falta de chuvas afeta abastecimento de água em São Paulo30 fotos

26 / 30

O nível da água é muito baixo na represa de Joanópolis (SP), nesta segunda- feira (10). Após apresentar uma pequena recuperação durante o final de semana, o volume de água dos reservatórios do Sistema Cantareira voltou a registrar queda Leia mais Luis Moura/Estadão Conteúdo
VER MAIS: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/estado/2014/03/31/seca-em-sao-paulo-ja-desencadeia-conflito.htm

Pasto sombreado no Sítio

Queijo da Canastra é regulamentado, e preço triplica; conheça produção

Priscila Tieppo

Do UOL, em São Paulo

13/02/201406h00

Saiba como é a produção do queijo da serra da Canastra

O queijo artesanal produzido na serra da Canastra conseguiu, em 2013, autorização para ser vendido fora de Minas Gerais, desde que tenha um selo atestando a qualidade da produção. Clique nas imagens acima para conhecer a produção centenária do produto, explicada pelo mestre queijeiro Bruno Cabral Leia mais Janaina Fidalgo/Folhapress

Um dos mais conhecidos de Minas Gerais, o queijo da serra da Canastra ganhou autorização no ano passado para ser vendido fora do Estado. Com isso, os produtores tiveram de adequar as antigas salas de produção, o que encareceu o produto.

SERRA DA CANASTRA

O queijo, cuja produção é certificada pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) como patrimônio imaterial do Brasil e possui selo de indicação geográfica, é considerado um artigo gourmet, cobiçado por consumidores e chefs de todo o país.

Antes dessa regulamentação, o quilo do produto era vendido em Minas por R$ 10. Agora o preço triplicou, e as fazendas da Canastra cobram cerca de R$ 30 o quilo, de acordo com o produtor e presidente da Associação Regional dos Produtores de Queijo da Canastra, João Carlos Leite.

VER:  http://economia.uol.com.br/agronegocio/noticias/redacao/2014/02/13/queijo-da-canastra-e-regulamentado-e-preco-triplica-conheca-producao.htm#fotoNav=1